Arquivo da tag: tendência

Cobertor ou Scarf

Tem dias que tá tão frio que tudo que a gente quer é levar o nosso cobertor favorito com a gente por aí. Quem se identificou com essa frase, pode muito bem também se identificar com essa tendência!

mont1

Aparentemente está rolando uma onda por aí de scarf a La cobertor. A precursora foi a Louis Vuitton, Maison comandada por nada mais nada menos que Marc Jacobs, que trouxe em seu desfile o tecido amarrado no pescoço de forma extra-volumosa, combinado com um casaco de estampa bem parecida.

Aí você pensa: Ah, mas é coisa da Louis Vuitton, né? Nananinanão, olha o que já tá nas ruas, só que com a assinatura de Kenzo.

mont2

Estranho? Confortável? Pega? Não pega? Só o tempo dirá, mas pela minha vasta (#sóquenão) experiência no mundo da moda, se Marc Jacobs assina, é bom ficar ligada.

Alguém aí pretendendo investir na peça nesse próximo inverno?

Tênis Velho no Pé, de Boné!

Quem foi pré-adolescente na década de 90 (aquela que entrega a idade) usou e abusou dos bonés, e também renegou, enfiou no fundo do armário e jurou nunca mais usar. Mas, tudo que vai nesse mundo volta, e eu não to falando de carma.

Eles estão dando pinta faz um tempo, mas eu juro que me neguei a falar sobre isso e me prometi que só faria esse post se eu visse produções incríveis, que me dessem muita vontade de usar. E não é que elas apareceram?

Para variar (e para noooossa alegria #piadavelha), o acessório tá fazendo bonito nos contrastes. Ou ele cumpre bem o papel quebrando uma produção já quase clássica (blazer e calça boyfriend – quem nunca?).

Ou ele vem na produção toda esportiva, no maior clima casual Friday ou to passeando no fim de semana hahaha.

Vai durar? Não sei. Vai pegar? Sei menos ainda. A única coisa que eu sei é que o boné tá rolando e ó: tem jogo. Alguém aí já tá colocando na produção do dia a dia?

De Volta para a Infância

A primeira vez que eu vi um macacão ressurgindo em um site de streetstyle, a  minha primeira reação foi… não! Não, não, não! Vejam bem, eu andava com uma jardineira da FARM há muitos anos, quando todo mundo andava, nada de preconceito. Mas essa era uma tendência que eu não planejava revisitar.

E eu, mais uma vez, subestimei a capacidade de reiventar das pessoas e o costume ocular – fenômeno que transforma qualquer tendência em desejo com o passar do tempo. Aí, surgiu essa foto no Man Repeller!

Dei um sim reticente, mais até um … “ah, bonitinho”

O segundo look que eu vi era simples, mas já me convenceu a colocar a peça para jogo. Depois, com a entrada da camisa de silk e do maxi colar, eu já tava planejando a próxima compra. Até que…

Miroslava Duma, diva máxima, aparece com um modelo de couro, colar poderoso e camisa estampada e eu já estava me tacando no primeiro táxi para garimpar o shopping. Quem nunca, né?

E para vocês esse noventismo pega ou é fogo de palha?

Shirt Dress não é Tendência, e daí?

Outro dia eu vi um GIF no What Should we Call Me (vício do mal!) que dava uma zoada – de leve- em quem usa blusa como vestido. Apesar de eu me identificar muito com as autoras do Tumblr, rolou um recalque porque, sim, eu uso blusão como vestido, e daí? #orkut.

Daí, pra dar uma aliviada na minha consciência, fiz uma pesquisa rápida de maxi blusas que viram vestido e não é que as produções ainda são inspiring? Eu sei que essa moda é velha, mas a gente ainda curte usar, e daí? #repetepiada

E tem mais: sempre que eu vejo uma fashionista com uma peça “ultrapassada” eu acho o máximo. Fica aquele arzinho de ‘eu me importo com o que eu gosto e não com o que os outros dizem que é cool’, que eu admiro demais.

Fica aqui meu protesto “Yes, we still Love shirtdress” e sempre que eu vejo alguém na rua com um, that’s what we should call me:

Listra Vertical é Tendência

Desde que o navy tomou conta das araras das lojas (vish, como faz tempo!) que as listras horizontais não saem de cena, e nem do meu coração. Mas, sabe aquela história do tudo se transforma? As listras viraram e… estão ficando cada vez mais verticais!!

Eu comecei a perceber essa mudança na tendência das calças listradas, mas não é só na parte de baixo que tá acontecendo esse verticalismo haha

Uma das blusas mais desejadas da estação (aquela que acha que o desejo próprio é o de todo mundo hahaha) é… com listras verticais. Coincidência? Só o tempo dirá!

Enquanto a gente não se acostuma, vamos pensar pelo lado bom, né meu povo? Pelo menos emagrece! 😛

Clueless é Tendência

Sem querer denunciar meu mau gosto, mas já explanando, eu a-ma-va assistir As Patricinhas de Beverly Hills. Tipo, cada vez que o filme ia passar na Sessão da Tarde era um acontecimento, sabe?

Daí que outro dia eu estava procurando imagens no Google quando me deparo com ela, meu ícone da pré-adolescência, Cher Horowitz com uma roupinha super tendência. Vem comigo conferir o que Cher usava, e que tá todo mundo de bafafá dizendo que É Tendência hoje em dia!

Sim, a moda é um ciclo e tudo que vai volta. Volta com um detalhe diferente, um corte mais arrojado, talvez um comprimento mais ousado, mas sempre volta!

E você, lembra de alguma tendência que fez parte da sua infância/adolescência e que hoje tá com tudo? 😀

Por um Inverno com Toucas

Entra inverno, sai inverno, eu faço o meu protesto: por que touca de crochê não emplaca no Brasil? É charmoso, é bonito, dá um tapinha no visual… Algumas amigas já me disseram “aqui não faz frio para isso”, mas todo acessório precisa ter um propósito?

Se fosse assim, a gente podia descartar o relógio de pulso, a meia calça e até o cinto. Todos foram criados com um propósito, mas conquistaram o gosto mundial e viraram enfeite (ainda bem!).

Então, não é porque pelas bandas de cá o frio não é suficiente para congelar as orelhas que a gente vai descartar completamente o item.

O calor tá começando a ir embora e eu, mais uma vez, faço votos de esse ser um inverno com muita touca de tricot 😀

E olha a Ashley Tisdale com o acessório aí e pernocas de fora :). Para o short estar no visual, fato que o frio não estava de rachar.

Eu já tenho a minha que vai entrar em ação assim que o calor partir. Bora embarcar nessa?

Pulseirismo Bravo

A gente já passou pelos spikes, estamos no excesso de pulseira e as cornetas da próxima moda de pulso já começa a soar. A onda da vez na alta sociedade da moda é pulseira de couro com aplicações nada discretas!

Apesar de o ar totalmente punk do acessório (quebrado ou pela textura de cobra ou pela cor dourada), de transgressor ele não tem nada!

Deu para espiar o modelito de quem está desfilando com a pulseira por aí? Nada de fundo modernoso ou roupas rasgadas. É elegância (em tamanho large hehehe).

Será que a gente já tá olhando para quem vai reinar no futuro? O modelo das fotos é Hermés e a gente bem sabe que quando o assunto é ditar tendência, essa galera tá na crista da onda.

Eu ainda tô em cima do muro. E vocês, usam com orgulho ou passam para a próxima? 🙂

Esquisito Hoje – Trendy Amanhã

Uma vez eu li um artigo: se você quer saber o que vai estar na moda amanhã, observe os gays hoje. O artigo , que eu infelizmente não lembro quem escreveu, tinha suas nuances interessantes mas, para mim, beirou o sexismo. Refletindo com uma amiga (Mari!) sobre essa questão de ditar tendência, cheguei a uma conclusão diferente. Se você quer saber o que vai estar na moda amanhã, observe os diferentes. Eles mesmos, aqueles que se destacam no mar de gente e – muitas vezes – são tachados de “esquisitos” pela massa.

Nerd: de estereótipo às passarelas

A amiga em questão platina o cabelo há anos – muitos mesmo – e no início as pessoas achavam super esquisito. Algum tempo depois, Carolina Dieckmann apareceu com as madeixas platinadas em uma novela e foi um tal de correr para o salão atrás do ponto exato de loiro que, diga-se de passagem, Mari já conhecia há tempos! Toda a “estranheza” do loiro quase branco passou e a ideia virou sinônimo de beleza e estilo. Não, eu não estou dizendo que quem ditou a tendência capilar foi a minha amiga de infância, estou apenas relatando que o que a grande maioria estranhava virou tendência em um passe de mágica.

Grunge: De sujinho revoltado diretamente para o guarda-roupa das fashionistas

A possibilidade de criar algo e fazer a inovação ecoar mundo afora depende de diversos fatores – entre eles a capacidade de alcance do criador em questão (celebridades em geral e passarela). Mas, o ingrediente principal reside em dois detalhes: um de suma importância e outro, muitas vezes, menosprezado. O primeiro é a criatividade. A raiz da palavra explicita tudo: criação, inovação, algo nunca feito ou modificado quase ao ponto do não reconhecimento. O segundo, aquele esquecido, é a ousadia. É preciso ser muito seguro e audacioso para experimentar ( e exibir) o que nunca foi visto ou pensado. Sair dos padrões vai muito além do mero “se destacar”. Arriscar inclui, na maioria das vezes, quebrar regras estéticas e padrões fortalecidos por anos e anos de mesmice. É por isso que eu aplaudo internamente sempre que vejo alguém tentando algo diferente – o resultado final me agradando ou não.

Platinado: da beleza Ska e Roqueira de Gwen para as novelas globais e todos os salões de beleza sofisticados

Porque no fim das contas, a gente torce o nariz hoje e deseja amanhã. Estranha uma peça de roupa (ou uma cor de cabelo) nas ruas, mas, de repente, ele aparece na mídia e, instantanemente, vira objeto de desejo, o famoso must have. E é esse comportamento volátil que tanto me encanta no mundo das tendências. Tudo muda. Nenhum conceito é fixo e, por isso, estamos todos sujeitos a morder as próprias línguas. Quem nunca disse “eu nunca” e depois corrigiu com um “eu preciso”? É por isso que volto a repetir: observem os esquisitos. Eles são a tendência de amanhã.