Arquivo da categoria: Vestidos

Vestido Recortado

Eu sei que eu já falei de tapete vermelho essa semana, mas hoje é meu aniversário (êêêê!!!), então vamos continuar em clima de festa, luxo e sedução? E na hora de comemorar qualquer coisa, você saca aquele pretinho básico… nananinanão. Pretinho básico já foi. A parada agora é pretinho recortado!

vestido-recortado

A premissa é um vestido preto sem qualquer destaque. Eis que de repente, pá! Um recorte lateral. Pá! Um recorte no colo. Pá! Um recorte no ombro… e tome mostrar pele – e tome ficar linda todavida. Ah, confessa: quem não tá sonhando em desfilar um desses por aí? Precisava nem ser tapete vermelho, bastava uma festinha que eu já ia feliz 🙂

vestido-recortado

Outra coisa legal de notar é que as partes vazadas do vestido dão uma sensação de figura geométrica. São ângulos e linhas retas sempre, perceberam? Amo esses detalhes e já estou me perguntando se isso não é uma evolução das estampas geométricas. Em moda, nada se cria, tudo se evolui haha.

Na próxima festa, vocês vão vazadas ou vão inteiras?

PS – Parabéns para mim de novo! \o/

Shirt Dress não é Tendência, e daí?

Outro dia eu vi um GIF no What Should we Call Me (vício do mal!) que dava uma zoada – de leve- em quem usa blusa como vestido. Apesar de eu me identificar muito com as autoras do Tumblr, rolou um recalque porque, sim, eu uso blusão como vestido, e daí? #orkut.

Daí, pra dar uma aliviada na minha consciência, fiz uma pesquisa rápida de maxi blusas que viram vestido e não é que as produções ainda são inspiring? Eu sei que essa moda é velha, mas a gente ainda curte usar, e daí? #repetepiada

E tem mais: sempre que eu vejo uma fashionista com uma peça “ultrapassada” eu acho o máximo. Fica aquele arzinho de ‘eu me importo com o que eu gosto e não com o que os outros dizem que é cool’, que eu admiro demais.

Fica aqui meu protesto “Yes, we still Love shirtdress” e sempre que eu vejo alguém na rua com um, that’s what we should call me:

Vestido como Saia

Eu sempre fui contra (muito contra) essa onda de vamos comprar roupa todo dia, não posso nunca repetir peça. Por não concordar com essa compra desenfreada (meu mundo é real e eu não tenho conta corrente infinita – infelizmente hihi), eu sempre busquei alternativas de aproveitar ao máximo as peças que eu tenho.

E uma forma de render o guarda-roupa é transformando vestidos em saias. Não é porque ele nasceu peça única que não pode ter um dia ou outro de parceria, né? 😀

Já pensou usar um vestido rodado com um tricot larguinho jogado por cima? Se o tecido da base for leve, ainda cai naquela categoria que eu amo: mix de texturas!

Uma blusa mais larguinha e monocromática por cima também faz um verão danado. Essas fotos inspiraram o meu look de hoje, e lá vou eu sair com um vestido fazendo as vezes de saia.

Consumo bom é consumo inteligente e sabe o que é esperto para caramba? Reinventar as peças do armário! 🙂

Sobre vestidos, transparências e tênis

Já deu pra sentir que agora as transparências estão chegando com tudo, né? Pois isso não vale só para as plissadas ou para os looks com lingerie – vale também para os vestidinhos, nossos BFF quando a temperatura aumenta!

O que andamos observando por aí é que junto com os vestidos transparentes e levinhos vem, também, a combinação tênis batido + vestidinho romântico:

   

O legal é que o tênis dá uma quebrada no clima menininha e dá uma pegada mais grunge ao look (se você não é tão grunge, mas curtiu o estilo, é só usar um tênis mais limpinho, de preferência branco! ; )

Tá valendo todo tipo de tênis: de cano médio, cano baixo, colorido, branco, preto, imundinho ou com ar de limpeza! E é claro que não precisa ser um allstar, apesar de ser o tipo mais pop para essa combinação!

A gente já usa essa trend há milênios, porque tanto eu quanto a Iana temos um pézinho no sub-mundo do rock n’ roll 😛

E aí? Vão adotar?

Copycat ou Coincidência?

Sabe quando você bate o olho em uma peça de roupa e acha que está diante da perfeição? Foi assim que me senti quando vi Zoe Saldana desfilando pelo tapete vermelho com um vestido preto e branco todo texturizado. O amor foi tão grande que a peça ganhou um post inteirinho só para ela aqui no blog, onde eu puxei o saco da Zoe descaradamente pelo simples fato de vestir o que, na minha opinião, se tratava de uma obra prima dos tecidos.

Zoe Saldana e Kelly Osbourne, quem leva a melhor?

Os meses se passaram, estava eu em minha navegação rotineira pelos sites de fofoca (adoro!) quando me deparo com uma foto de Kelly Osbourne trajando uma peça quase igual porém horrível. Tudo indica que não fui só eu que morri de amores pelo vestido, mas, sinceramente, eu gostei elogiei e fiquei na minha, né? Não saí por aí fazendo “releitura” vesga da criatividade alheia. Enquanto o vestido de Zoe é composto por – o que me parece – cetim e babados harmoniosos, o vestido de Kelly é um furdunço de tule e drapeados que, sinceramente, não favorece ninguém.

E na polêmica cópia ou não cópia, fica a dúvida: copycat ou coincidência?

Vestidos Texturizados

É verdade que o pretinho – ou branquinho – básico dificilmente vai sair de moda, mas que é época de dar um descanso merecido a eles, isso é. Em meio a tantas misturas atuando ao mesmo tempo no mundo da moda (é mistura de estampa, mistura de textura, mistura de estilos) fica difícil não se deixar contagiar por peças poluídas. Sem comentar que se o excesso de informação está em alta com produções elaboradas carregadas de estampas e sobreposições, cedo ou tarde a tendência ia dar as caras em peças sozinhas.

O fenômeno pode acontecer por dois motivos (todos teóricos de minha cabeça ociosa hehehe): o verão pode ter exigido uma aposentadoria temporária das sobreposições de tecidos ou a falta de paciência de ter que elaborar produções que comportam várias peças, acessórios, tecidos e estampas diferentes fez com que houvesse o surgimento de saídas mais práticas – para se conseguir o efeito com peças únicas. Semana passada, na abertura da Chanel do Soho (reduto finissimo em NY), três ícones fashion atuais mostraram que a tendência está aí… e mto bem acompanhada!

Rachel Bilson, Alexa Chung e Diane Krueger desfilaram pelo local super trabalhadas e vestidos texturizados. Rachel se valeu das franjas (e muitas!!) que cobriam não só a peça, como ultrapassavam – de leve – a fronteira da gola e da barra. Diane Krueger sobrepôs o vestido – mega – texturizado com um corpete acentuando ainda mais a imagem poluída e rhyquíssima, diga-se de passagem. Já o vestido de Alexa tinha estampa, desenhos vazados, aplicações e – o que me parece – renda na gola e nas mangas, resultado: mistureba total que só o sobrenome Chung sustenta com graça e leveza. Peças incomuns, mas que são charme puro.

E vocês? Prontas para os babados/rendas/drapeados/estampas da vida ou ainda preferem o bom e velho little black dress?

Novas Versões de um Pseudo-Clássico

Não é novidade para ninguém que o combo pretinho básico + manga longa + comprimento mini está dando o que falar. Tendencinha mais do que consagrada, as celebs desfilaram alguns modelos do tipo e a maior variação (que eu julgava) possível era ombros marcados ou corte reto. Até mesmo a gola não mudava muito seguindo sempre o estilo redondinho.

O clássico

Verdade seja dita, essa mesmice me fez achar que a peça não duraria nada na listinha de must have das fashionistas. Maaas, ledo engano. O mini de mangas compridas não só sobreviveu como ganhou novas versões!!! A Angel, e invejadíssima noiva de Orlando Bloom, Miranda Keer desfilou nesses dias um modelito bem diferente.

E as inovações

Apesar de as características clássicas estarem presente, a gola do vestido dava a impressão de que se tratava de uma chemisier, só que com pouquíssimos botões. Já Kristen Stewart inovou com uma manga só, transparência, aplicações e formas geométricas…tudo de uma vez só! E mais uma vez, quando a gente acha que não há como sair mais nada de novo de uma peça, a moda surpreende a gente!

E então, meninas? Ficam com o clássico ou um “viva” para as modificações?